PzKpfw-III E/F «Panzer III» Carro de combate médio (Daimler-Benz)








Fabricante: Daimler-Benz - Alemanha
Tripulação: 5
Comprimento: 5.38 - Largura: 2.91M - Altura: 2.43M
Peso vazio: 18800Kg. - Peso preparado para combate: 19500Kg.
Motor/potência/capacidades
Sistema de tracção:Lagartas
Motor: Maybach HL-120 Potência: 300 cv
Velocidade máxima: : 40 Km/h - Velocidade em terreno irregular: 20 Km/h
Tanque de combustível: 320 LitrosAutonomia máxima: 165Km
30º
30º
0.8M
2.3M


O Panzer-III era o carro destinado no exército alemão à função anti-tanque, mas embora as suas primeiras versões tenham até sido pensadas para um canhão de 50mm, optou-se inicialmente pelo canhão de 37mm, porque era o calibre padrão dos canhões anti-tanque da infantaria alemã nos anos 30. Considerava-se que era o suficiente para a realidade da altura.

As primeiras três séries de carros de combate deste tipo (A,B e C), dispunham de uma blindagem frontal de apenas 15mm e uma blindagem lateral de 5mm.
Esta blindagem foi julgada ineficiente logo após o inicio da guerra civil de Espanha, quando os alemães se depararam com as peças anti-tanque soviéticas de 45mm. A blindagem standard foi imediatamente aumentada de 15mm para 30mm.

Estas modificações foram testadas no modelo D, pelo que o modelo F a que esta ficha diz respeito foi o primeiro dos tanques da classe Panzer-III a ser produzido em quantidades significativas[1], a partir de Janeiro de 1939, com 439 unidades produzidas até Abril de 1940, quando passou a ser fabricada a versão G que é praticamente idêntica e apenas se diferencia pela enorme caixa acoplada a torre que não está disponível na versão F.

Quando a guerra começou em 1939, apenas 98 veículos Panzer-III estavam ao serviço no exército alemão e eram considerados os mais poderosos tanques alemães da altura.

As prestações do modelo na campanha polaca foram consideradas apenas satisfatórias, mas dois fatores contribuiram para que rapidamente o modelo E e o modelo F fosse substituídos por outros.

Em primeiro lugar, a fábrica Skoda, estava a produzir em série um tanque leve armado com uma peça de 37mm, o que já permitia dispor de um número de veículos considerável, armado com aquele calibre.

Por outro lado, os alemães analisaram minuciosamente os resultados da campanha na França e os resultados não foram animadores, levando a medidas urgentes.

As análises alemãs foram coincidentes, sobre as capacidades dos tanques britânicos e franceses, que colocavam o canhão de 37mm em grande desvantagem.
Isto tornou-se claro, quando os alemães se depararam com os tanques Char-B1-bis franceses e também com os tanques de infantaria britânicos Matilda-II, que enfrentaram na área de Dunquerque, e que só foram derrotados graças a melhores tácticas e em alguns casos com a utilização de canhões anti-aéreos, bem como pelo deficiente sistema logístico francês e pela confusão tática resultado do rápido avanço alemão em 1940.

Tornou-se por isso necessário um programa de emergência para colocar nos carros Panzer III a peça de 50mm que inicialmente lhes estava destinada, ao mesmo tempo que foi necessário desenhar uma blindagem mais adequada.

O Panzer-III E tinha tido a sua blindagem aumentada de 15mm para 30mm por causa da guerra civil de Espanha e agora passava de 30mm para 50mm por causa da guerra contra a França.


Notar igualmente que praticamente todos os modelos do Panzer III com canhão de 37mm que sofreram reparações viram o seu canhão de 37mm substituído pelo de 50mm.

[1] - As primeiras séries, A, B, C e D são considerados protótipos em que se pretendeu escolher um sistema de suspensão adequado. A primeira versão de produção foi na prática a versão D.

Informação genérica:
Os carros de combate da família «Panzer III», representam a terceira família de carros de combate desenvolvida pela Alemanha durante os anos 30, logo que o desenvolvimento dos tanques leves (Panzer-I e Panzer-II) terminou.

Os primeiros dois pequenos tanques, ainda que tenham sido produzidos em consideráveis quantidades, rapidamente ficaram obsoletos e os alemães aperceberam-se claramente disso quando os Panzer-I encontraram os T-26 soviéticos na guerra civil de Espanha.

Os alemães adaptaram as suas doutrinas considerando a necessidade de complementar os pequenos tanques com dois modelos distintos, cada um deles com funções específicas.

Um deles era destinado a apoiar a infantaria e capaz de disparar uma granada de alto explosivo de considerável potência (Panzer IV).
O outro seria mais ligeiro, e estaria equipado com um canhão anti-tanque para atacar os carros inimigos.

O modelo escolhido resultou do projecto da Daimler-Benz que ganhou a concorrência entre propostas de vários fabricantes alemães.

Esse seria o veículo destinado a perfurar as blindagens de carros polacos franceses e britânicos. A sua designação oficial seria PzKpfw-III (Panzer Kampf Wagen, carro blindado de combate em alemão) , ou Panzer-III.

O desenvolvimento do Panzer III começou apenas em 1935 e inicialmente estava previsto instalar uma peça de 50mm, mas como a infantaria estava a ser equipada com a peça anti-tanque de 37mm PAK-36, foi decidido instalar uma arma do mesmo calibre por uma questão de facilidade logística.

Acresce que os primeiros modelos do Panzer-III estavam apenas armados com uma peça de 37mm anti-tanque, que era julgada suficiente para os combates que os alemães previam, especialmente depois da análise que fizeram na guerra civil de Espanha, aos tanques leves T-26 e à família de tanques médos BT-5 / BT-7, que podia ser facilmente derrotada por um canhão de 37mm.

A decisão demonstrou não ter sido adequada, já que os veículos Panzer-III mostraram-se apenas relativamente adequados durante as campanhas contra a Polônia e contra a França os resultados foram desanimadores.

Verificou-se que tanto a blindagem quanto o armamento dos tanques alemães eram em muitos casos inferiores aos tanques franceses (mais protegidos e com melhor armamento) e só a superior táctica garantiu a vitória alemã.

Confirmou-se o erro de instalação de uma peça de 37mm, que não conseguia perfurar a blindagem dos principais carros franceses, tanto o tanque médio Somua S-35 ou tanque pesado 1-Bis.

Logo em 1940, quando se entendeu que o canhão de 37mm era ineficiente, a obsolescência do Panzer-III foi declarada e foi sendo «remediada» ao longo da guerra.- O processo de instalação de uma peça de 50mm começou de imediato e quando a URSS foi invadida, a maioria dos Panzer-III já estava equipada com essa peça.

No entanto, a dimensão do tanque impedia posteriores aumentos na potência de fogo, pelo que lentamente, o Panzer-III deixou de ser atribuído às unidades de primeira linha, sendo as perdas substituídas por viaturas mais pesadas com o Panzer IV.

O chassis do Panzer-III foi utilizado desde o inicio para veículos blindados de apoio, como foi o caso do canhão de assalto Stug-III. Além destes, muitos dos Panzer-III foram sendo convertidos ao longo do conflito, tendo muitos deles sido transformados em caça-tanques, sem torre, veículos para apoio da infantaria, viaturas de comando ou transportadores de munições.

No entanto, durante a batalha de Kursk em 1943 ainda estavam ao serviço 141 carros de combate Panzer-III na sua função de carro de combate principal.

Modelos:

Panzer III modelo A (1936)
Blindagem de frontal de 14,5mm – mínima de 5mm

Panzer III modelo B (1937)
Blindagem frontal de 14,5mm – mínima de 5mm

Panzer III modelo C (1938)
Mesma blindagem, modificações na suspensão

Panzer III modelo D (1938)
Blindagem frontal de 30mm

Panzer III modelo E (1939)
Blindagem frontal de 30mm – Nova suspensão.

Panzer III modelo F (1939)
Previsto para a nova arma de 50mm, não introduzida por não estar disponível (convertidos para a nova arma posteriormente)

Panzer III modelo G (1940)
Nova arma principal de 50mm de origem.

Panzer III modelo H (fim de 1940)
Nova modificação na suspensão. Lagartas/esteiras mais largas.
Placa adicional de 30mm, aplicada na frente, à blindagem standard de 30mm já instalada foi colocada depois da invasão da União Soviética. Alguns modelos foram convertidos para modelo M (canhão longo de 50mm).

Panzer III modelo J (1941)
Blindagem máxima standard de 50mm

Panzer III modelo L (1941)
Blindagem máxima standard de 50mm e modificações na suspensão para compensar o aumento de peso.

Panzer III modelo M (1942)
Mesma blindagem e pequenas modificações e simplificação do modelo para reduzir os custos

Panzer III modelo N (Final de 1942)
Idêntico ao modelo M, mas sem a arma principal de 50mm substituída por um canhão de cano curto de 75mm.

Nenhum comentário