EADS CASA C-295 Aeronave de transporte ligeira

Casa c-295 faial.JPG
Por Carlos Luis M C da Cruz - Obra do próprio, Domínio público, Hiperligação


EADS CASA C-295 Aeronave de transporte ligeira

Radares
- Honneywell RDR-1400C - Atmosférico/busca e salvamento (Alcance médio: 75Km)
- Northrop-Grumman/Westinghouse AN/APN-241 - Multi-modo/Pulso Dopler (Alcance médio: 22Km)


O programa C-295 foi iniciado em 1996 e o primeiro C-295 de série voou em 1999. Ao contrário do seu irmão mais pequeno, o C-235, o C-295 foi essencialmente pensado para ser uma aeronave militar e por isso recebeu certificação militar logo em 30 de Novembro de 1999. No entanto, mantem a sua designação "M" que designa militar.

Tem capacidade para transportar 73 militares armados ou 48 para-quedistas.

Pode transportar até 27 macas na função "MEDEVAC" ou evacuação médica, e pode ser utilizado como centro de cuidados ambulatórios, tendo capacidade para 12 macas e pessoal de saúde.

Pode transportar até 3 veículos do tipo Land-Rover ou Land-Cruiser e mesmo veículos do tipo HUMMER, desde que com alguma preparação.

A área da cabine para carga tem um comprimento de 12,69m e uma largura de 2,7m.

Os pontos fixos para transporte de armas debaixo das asas são opcionais e têm capacidade para 300Kg, o mais afastado, 500Kg o central e 800Kg o mais próximo do eixo do avião.

Informação genérica:

Familia de aeronaves resultante do acordo estratégico de parceria entre a empres CASA da Espanha e a empresa NURTAINO da Indonésia.

O primeiro resultado desta união, foi o C-235, uma aeronave especialmente concebida para as necessidades de transporte das empresas indonésias, que efectuam vôos entre uma miriade de ilhas dentro do país, às quais se deve a manutenção da porta traseira, que se adapta bastante à utilização que lhe é dada em operações de ligação aérea inter-ilhas.

Embora o C-235 não tivesse tido o sucesso comercial que se esperava, o facto de possuir uma porta traseira permitiu que posteriormente o avião fosse apresentado como aeronave militar, campo onde efectivamente teve sucesso.

Foram produzidas versões destinadas não apenas ao transporte mas também à patrulha marítima.

Posteriormente, tendo em atenção o mercado militar, foi construida uma versão aumentada chamada C-295. Ao contrário do seu antecessor mais pequeno, esta versão já não foi apresentada como aeronave civil e foi destinada exclusivamente ao mercado militar.

Nenhum comentário