Avião de caça Dassault-Aviation Mirage-III

Avião de caça Dassault-Aviation Mirage-III

O Mirage-III, lançado em 1958, foi resultado de vários estudos e desenvolvimentos durante os anos 50, com o objectivo de produzir uma aeronave de muito alta velocidade. O Mirage-III voou pela primeira vez em 17 de Novembro de 1956 e em 1960, transformou-se no primeiro caça da Europa ocidental a ultrapassar MACH-2.

A primeira versão de produção foi o Mirage-IIIC, que entrou em serviço em Dezembro de 1961.

Rapidamente foi lançada uma versão de ataque (Mirage-IIIE) e de reconhecimento (Mirage-IIIR).

O preço do Mirage-III foi mantido bastante competitivo, principalmente porque a Dassault manteve a mesma célula para todas as versões da aeronave, mas também porque a mais conhecida característica do Mirage, a asa delta, ajudava a garantir esse custo menor.

Esse baixo custo, permitiu à Dassault colocar o Mirage em vários países.









Primeiro abate de um MiG-21
Entre os records do Mirage, há um normalmente esquecido. A força aérea de Israel adquiriu vários Mirage III durante a década de 1960.

Informação genérica Avião de caça Dassault-Aviation Mirage-III :

A família de aeronaves conhecida como Mirage, é a mais prolifera família de aeronaves construidas na Europa depois da II guerra mundial.

O Mirage, também colocou a França numa posição de relevância internacionalmente, ajudando a elevar a industria aeronáutica francesa a um lugar de destaque internacional.

Além da França, outros quatro países montaram ou modificaram o Mirage.

O primeiro avião entrou em produção em finais dos anos 50 e foram produzidos mais de 1400 exemplares nas várias versões.

O primeiro protótipo do Mirage, o Mirage-I voou pela primeira vez em 1955, os mais recentes Mirage-2000, continuam ao serviço em vários países.

O primeiro elemento da família foi o Mirage-III, com capacidade para voar a MACH-2.

Depois, a pedido da força aérea de Israel, foi produzida uma versão económica, conhecida como Mirage-5, destinada a operações unicamente durante o dia, que era desprovido de radar. Essas aeronaves serão a origem dos caças Kfir, derivados dos Mirage-5, Delta-Dagger argentinos e Chetah sul africanos.

O Mirage-50, foi uma versão intermédia produzida pela França, equipada com avionicos mais sofisticados.

A modernização conhecida como Mirage-5 era uma versão simplificada do Mirage-III foi apenas vendida para a Libia e para a África do Sul (os Mirage sul africanos foram modernizados em cooperação com Israel).

No inicio dos anos 70, foi lançado o Mirage-F1, que representou um corte com a tradição de asa delta, ao apresentar uma configuração tradicional, que serviu em França para substituir o Mirage-III.

Em 1982 foi lançado o Mirage-IIING (Nouvelle Génération), caracterizado por asas Canard e comandos «fly-by-wire» mas a Dassault não conseguiu vender a ideia, principalmente porque os kits de modernização, permitiam manter grande parte da frota actualizada, por uma fracção do custo.

A verdadeira renovação da linha Mirage, ocorreu com o lançamento do Mirage-2000

Os outros Mirage


Além das aeronaves fabricadas na França, outros países construiram versões do Mirage.

Nesher

A primeira, foi uma cópia quase exacta do caça bombardeiro Mirage-5. que foi fabricada ilegalmente.

Kfir

O Kfir, foi lançado depois do Nesher e era uma versão mais sofisticada e capaz do Mirage, com nova electrónica e motores de origem norte-americana. Ainda hoje estão ao serviço versões do Kfir e a mais recente é Kfir-C10

Chetaah

A África do Sul tambem obteve licença para fabricar o Mirage-III e o seu motor.
Embora não tenha produzido o Mirage, o Chetaah lembra em grande medida o caça israelita Kfir, o que se compreende pelas estreitas relações que se estabeleceram entre Israel e a África do Sul nos anos 70.

Mirage-2000

Com novas apostas e novas propostas de mocernização, a própria Dassault lançou um novo Mirage, que embora partilhe o conceito geral desenvolvido com o Mirage-III, é na realidade uma aeronave completamente nova.









Nenhum comentário